Rio de Janeiro: Fiscais fecham festa com mais de duas mil pessoas na Zona Oeste

Fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública fecharam uma rave em Vargem Grande, na Zona Oeste da cidade do Rio, na noite de domingo (28). O evento contava com cerca de 2 mil pessoas e acontecia em uma pousada.

No início da manhã desta segunda-feira (29), imagens do Globocop mostraram cenas de aglomeração no fim de uma festa no Parque União, no Complexo da Maré.

Muitas pessoas ocupavam mesas no meio de uma das ruas da comunidade, praticamente todas elas sem máscara de proteção facial.

As imagens ainda mostraram um homem armado com fuzil circulando entre as pessoas.

Apesar da ampliação das medidas de restrição, o fim de semana foi marcado por festas e algumas pessoas insistiram em ficar nas praias.

No bairro de Colégio, na Zona Norte, um outro evento foi fechado com 150 pessoas. A Vigilância Sanitária multou o responsável pela festa.

Na Taquara, Na Zona Oeste, os fiscais estiveram em um sítio e fecharam uma festa na piscina com 300 pessoas. Os organizadores terão que pagar uma multa.

Fonte: g1,globo.com

Nada de biquíni: só deu policial fardado em festa na piscina no RJ

Em vez de uma multidão usando sungas e biquínis, o que se viu ontem de manhã na Super Poolparty, em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio, foi um bocado de policiais e agentes do município usando fardas e coletes. A prefeitura e a Polícia Militar acabaram com a festa, que era produzida pelas empresas Friends Eventos e Tao Islands. Para tentar driblar a fiscalização, os organizadores só divulgaram o local por volta das 9h, garantindo que o evento estava “lindo” e pedindo que o público chegasse com “sorrisos e uma vibe incrível”.

A festa, cujos ingressos estavam sendo vendidos no site Bilheteria Digital, foi interditada por falta de licença sanitária e por desrespeito às normas de proteção à vida. Quem chegava ao local, voltava quando via uma aglomeração diferente daquela que esperava encontrar. Mesmo assim, cerca de 60 pessoas entraram no evento e acabaram sendo retiradas.

A operação foi uma parceria entre a Secretaria de Ordem Pública, a Vigilância Sanitária, a Guarda Municipal e a Polícia Militar. Representantes das empresas responsáveis pela organização da festa não foram localizados para comentar o caso.

— Se o evento voltar a acontecer, com a qualificação que temos e demais dados, abriremos uma ocorrência na 42ª DP (Recreio) por desobediência. Infração de medida sanitária preventiva é crime previsto no Artigo 268 do Código Penal — disse o secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale.

Questionado sobre eventos agendados nas redes sociais, o secretário afirmou que todos vêm sendo monitorados pela prefeitura. Inclusive o chamado CarnaRio, que tem festas programadas da próxima sexta-feira até terça da semana que vem.

— Fazemos monitoramento com inteligência, para impedir que essas festas aconteçam e para buscar os responsáveis pela organização dos eventos. Eles contribuem para a morte de pessoas contaminadas pelo coronavírus e responderão por seus atos. Fazemos ações, inclusive, “a posteriori”. Constatando que festas foram realizadas, empresas serão multadas e poderão até ter seus alvarás cassados — alertou Carnevale.

BBB 21: Primeiro beijo acontece na Festa do Líder e agita a madrugada da última quinta feira

Depois da tensão do primeiro Paredão do BBB21, nada melhor do que uma boa festa para animar os brothers, né?  A madrugada de quinta-feira, 04/02, na casa foi animada e embalada pela Festa do Líder Nego Di, que teve como tema um bar-barbearia, com direito a churrasco feito na hora e pagode na playlist.

A festa também rendeu o primeiro beijo da edição: Fiuk e Thaís se beijaram na pista de dança logo no começo da festa.  Karol Conká e Arcrebiano também deram selinhos ao longo da noite. Já Arthur aproveitou o clima de azaração para flechar uma sister. Dancinha? Muitas, claro!

Rolou!!

Depois de flertarem durante a tarde, antes da Festa do Líder, Thaís e Fiuk se deixaram levar pelo clima e rolou o primeiro beijo do BBB21!

No começo da festa, Fiuk e Thaís foram deixados sozinhos na pista e o brother comentou: “Tô um pouco sem graça agora…”. A sister colocou as mãos no ombro do cantor e perguntou: “Mas você está bem?” O brother disse que sim, mas que estava nervoso.

Fiuk então resolveu deixar a timidez de lado: os dois voltaram a se aproximar na pista e trocaram beijos. Os confinados comemoraram e fizeram uma rodinha ao redor do casal.

 Pós-ficada

Depois de protagonizar o primeiro beijo da edição, Fiuk disse a Nego Di que não está pronto para emendar uma relação. Xiii, será que acabou antes de começar?

Já Thaís conversou com Carla Diaz no banheiro e desabafou: “Todo mundo falou para eu não fazer casal, mas não dá”.

 

Fiuk e Thaís dão o primeiro beijo do BBB21 — Foto: Globo

 

Fonte: gshow

Maricá proíbe festas e eventos neste final de ano

A Prefeitura de Maricá proibiu através de um decreto a realização de festas e eventos comemorativos de Natal e Ano Novo em espaços públicos da cidade. O decreto foi publicado nesta quarta-feira, 23.

O decreto é válido dentro dos limites do município e proíbe a realização de qualquer evento – aberto ou não ao público – que contenha mais de 20 pessoas.

Ainda segundo o decreto, os espaços privados dedicados a festas e eventos devem seguir rigorosamente as medidas protetivas como: ventilação natural, espaço de 2 metros quadrados para cada pessoa presente, distanciamento, uso de máscara obrigatório, álcool em gel em fácil acesso e conferência de temperatura na porta.

A medida preventiva visa reduzir o contágio acelerado do coronavírus, que já chega a quase 8 mil infectados na cidade.

 

Fonte: leisecamarica.com.br

Búzios proíbe festas e eventos privados

A prefeitura de Armação dos Búzios, na Região dos Lagos do estado do Rio de Janeiro, proibiu a realização de festas, shows e eventos privados na cidade, com a cobrança de ingressos. Em função do aumento do número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus em todo o estado, a prefeitura de Búzios publicou o Decreto Municipal 1.536, que mantém o estado de calamidade pública e proíbe a realização de eventos públicos e privados na cidade.

De acordo com informação da prefeitura de Búzios, estabelecimentos comerciais, incluindo academias, restaurantes, bares, supermercados, mercados, quiosques, quitandas e quiosques de praia podem abrir, mas devem operar com redução de 50% de sua capacidade máxima. Da mesma forma, igrejas e templos religiosos, escunas, catamarãs e táxis aquáticos, veículos de cooperativas municipais e veículos de transporte intermunicipal também deverão funcionar com a capacidade reduzida em 50%.

Hotéis, pousadas e demais meios de hospedagem podem trabalhar com 50% de sua capacidade máxima nos dias úteis e com 70% da capacidade aos sábados, domingos e feriados.

Deverá ser disponibilizado álcool 70% para clientes em todos os estabelecimentos e mantido o distanciamento social. O uso de máscara é obrigatório em espaços públicos, incluindo as praias, que estão liberadas, e privados de acesso à população. A multa para quem descumprir a regra atinge R$ 700.

Turismo
O Convention Bureau de Búzios apoiou a decisão da prefeitura de proibir festas durante o período da alta temporada, tendo em vista que o intuito é receber os turistas com muita segurança, “seguindo todos os protocolos sanitários que preparamos nos últimos meses. Somos contra aglomerações que podem disseminar a covid-19 na nossa cidade. Mas somos a favor do turismo responsável, que vai garantir que as pessoas possam aproveitar as suas férias e que a cidade ganhe com a geração de empregos depois de tantos meses difíceis”.

O Convention Bureau de Búzios avaliou que o lockdown (bloqueio total) decretado na semana passada causou muitos prejuízos. “Cerca de 30% das reservas foram canceladas, os turistas ficaram assustados. Mas estamos trabalhando para reverter esses danos. Temos certeza que Búzios é uma das cidades mais seguras para quem deseja aproveitar o verão com segurança e consciência”, manifestou a entidade.

Comércio
A Associação Comercial e Empresarial de Búzios (Aceb) estima que deverá haver queda de, pelo menos, 30% no faturamento do comércio e restaurantes em função das medidas adotadas. O vice-presidente da entidade, Rodrigo Sobral, disse entender o contexto nacional e internacional, que vem cancelando eventos que possam causar aglomeração. “A Aceb lamenta e se solidariza com as empresas do segmento pelo impacto econômico, social e financeiro. Fizemos o possível para enquadrar o importante setor dentro dos protocolos vigentes; no entanto, o aumento dos casos, a preocupação do executivo e uma parte da opinião pública acabaram pressionando para o cancelamento, que está sendo uma tendência mundial.”

A Aceb está articulando uma campanha a ser lançada na próxima semana para sensibilizar os turistas e comerciantes a fazerem a sua parte no combate à covid-19.

Rede hoteleira
Levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ) mostra que a ocupação no interior, que já estava em 81% no início de dezembro, caiu para 69,5%. A maior queda foi registrada em Búzios, que passou de 88,75% para 57%. Angra dos Reis, na Costa Verde, também sofreu redução na ocupação de 92,37% para 87%. Apesar disso, o município continua sendo o destino mais procurado.

A ABIH-RJ observou que, na contramão da queda, destinos que fogem do circuito praiano apresentam incremento na ocupação. Caso de Itatiaia, situado na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais, que passou de 90% para 95% de hospedagens reservadas, e Vassouras, no centro-sul fluminense, que evoluiu de 75,5% para 77% em relação ao último levantamento. De acordo com a ABIH-RJ, a sondagem confirma tendência de busca por destinos mais tranquilos, com menos aglomerações.

Capital

O Sindicato dos Meios de Hospedagens do Município do Rio (Hotéis Rio) admitiu que o recrudescimento da covid-19 no Brasil e no mundo levou à diminuição da ocupação hoteleira também na capital, em relação aos números apurados no início de dezembro.

O índice de reservas caiu de 58% para 53%, com a maior retração observada em Copacabana, da ordem de 25 pontos percentuais nas duas últimas semanas, passando de 63% para 38%.

No sentido inverso, o Hotéis Rio verificou que a Barra da Tijuca teve incremento de 15 pontos percentuais nas reservas, subindo de 52% para 67%. A entidade prevê que a maior demanda, este ano, ficará concentrada no público nacional, em núcleos familiares, que buscam o modelo de festas privadas que já vem sendo praticado na Barra da Tijuca, nos últimos anos.