‘Green Book’, ‘Roma’ e ‘Bohemian Rhapsody’ se destacam no Oscar 2019

às

A noite deste domingo (24) foi de gala em Los Angeles, nos Estados Unidos, que recebeu a 91ª edição do Oscar, maior premiação do cinema mundial. Três filmes foram consagrados na cerimônia: “Green Book – O Guia”, dirigido por Peter Farrelly; “Roma”, dirigido pelo mexicano Alfonso Cuarón; e “Bohemian Rhapsody”, dirigido por Bryan Singer. O Oscar também contou com outros destaques, como a premiação da cantora Lady Gaga, protagonista do filme “Nasce Uma Estrela”, o primeiro Oscar oficial do cineasta Spike Lee e o filme “Pantera Negra”, que se tornou o longa de super-heróis com maior número de estatuetas, conquistando três prêmios.

Outro destaque na cerimônia foi a diversidade; criticado por dar mais reconhecimento a artistas e produtores homens e brancos, o Oscar abriu espaço para profissionais negros e mulheres, que levaram, respectivamente, sete e 15 estatuetas, recorde na história da premiação.

O filme “Green Book”, estrelado por Viggo Mortensen e Mahershala Ali e que relata a amizade construída entre um pianista negro e seu motorista branco nos EUA durante os anos 60, período conturbado devido a discriminação racial, levou a estatueta de Melhor Filme e de Melhor Roteiro Adaptado. Ali, que ganhou um Oscar em 2018 protagonizando “Moonlight”, se tornou o segundo ator negro da história a conquistar duas estatuetas, ao vencer na noite de ontem como Melhor Ator Coadjuvante.

Já “Bohemian Rhapsody”, a cinebiografia do cantor Freddie Mercury, frontman da banda inglesa Queen, conquistou quatro prêmios na cerimônia: Melhor Mixagem de Som, Melhor Edição de Som e Melhor Edição. Além disso, o protagonista do longa, o ator americano de origem egípcia Rami Malek, conquistou o Oscar de Melhor Ator.

O ator norte-americano Mahershala Ali, de “Green Book”, foi premiado como Melhor Ator Coadjuvante (Foto: Valerie Macon/AFP)

“Roma”, que conta a história de uma babá e empregada doméstica que trabalha em uma casa de classe média do México nos anos 70, concedeu ao diretor mexicano Alfonso Cuarón os prêmios de Melhor Filme Estrangeiro, o primeiro recebido por um filme do México, e o de Melhor Diretor, o segundo de sua carreira.

Fazendo história entre os filmes de super-heróis, Pantera Negra, dirigido por Ryan Coogler, da Marvel Studios, recebeu três prêmios nesta edição do Oscar, se tornando o filme do gênero com mais estatuetas: de Melhor Figurino, recebido pela figurinista Ruth E. Carter, que discursou que “a Marvel pode ter criado o primeiro super-herói negro, mas através do figurino nós o transformamos em um rei africano”; de Melhor Direção de Arte, recebido pela designer Hannah Beachler e o prêmio de Melhor Trilha Sonora, recebido pelo compositor sueco Ludwig Goransson.

Sem grandes surpresas, o aclamado “Nasce uma Estrela”, protagonizado pela cantora Lady Gaga e pelo ator Bradley Cooper, recebeu o prêmio de Melhor Canção Original, que foi recebido pela artista, detentora de um Emmy, maior premiação da TV. A dupla, que interpreta canções no longa, chegou a apresentar ao vivo na cerimônia do Oscar a música que foi carro-chefe do filme, “Shallow”.

O ator norte-americano Chadwick Boseman não concorreu a nenhuma categoria, mas o filme protagonizado por ele, “Pantera Negra”, recebeu três estatuetas (Foto: AFP)

O filme “A Favorita”, que conta a disputa entre uma duquesa e uma criada pela atenção da rainha da Inglaterra, recebeu pouco destaque do Oscar, apesar de ter sido considerado um dos melhores filmes do último ano. O longa foi premiado com uma estatueta, de Melhor Atriz, recebida pela atriz Olivia Colman, intérprete da Rainha Ana.

Veja também

Encerradas definitivamente, sistema de transferências via DOC, um dos mais tradicionais meios de pagamentos bancários por décadas.
às

Deixe aqui sua opinião

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Últimas Notícias